“Tive um DPV, segundo o retinólogo, mas o que me preocupa e que tenho miopia degenerativa, sou nova e uma das causas do DPV seria a miopia elevada. Mesmo com uso de lentes de contato a acuidade visual é baixa. Tenho flashes também; ele disse para fazer acompanhamento anual, mas vou procurar um oftalmologista para saber a possibilidade de uma cirurgia de miopia para me livrar das lentes ou ter mais independência.

Fico insegura com medo de perda da visão, devo confiar?”

A correção ótica de uma ametropia (miopia, hipermetropia ou astigmatismo) por si só não garante a máxima eficiência visual caso haja alterações anatômicas e/ou funcionais do olho. Em outras palavras, mesmo corrigido o “grau”, a qualidade visual ficará aquém do esperado porque a acuidade visual não depende apenas da ametropia (“grau”) do olho.

Alterações corneanas, cristalinianas e vítreo-retinianas (além de variantes anatômicas do disco óptico), se presentes, são algumas causas de baixa acuidade visual mesmo após correção da ametropia.

A cirurgia então, não corrige a miopia e sim reduz (e em alguns casos anula por um tempo maior ou menor) a necessidade do uso de correção ótica, dando maior independência ao individuo, é verdade. Mas as alterações degenerativas oculares decorrentes da alta miopia não são eliminadas com a redução ou eliminação do grau (cirurgia). Pelo contrário, podem ser aceleradas ou agravadas (a médio e longo prazo) pelo procedimento cirúrgico.

A cirurgia refrativa então não responde às expectativas de todos os portadores de miopia,por exemplo. É um procedimento bastante interessante e eficiente…mas não é para todos. A cirurgia bem indicada é quase sempre indicativa de sucesso, mas no caso de alta miopia em jovem o consenso ainda é manter o tratamento conservador com lentes de contato, óculos e monitorização clinica.

O binômio vítreo-retina deve ser sua prioridade na manutenção da visão no longo prazo. E se você tem flashes, tem tração vitreo-retiniana, embora (ainda bem!) não tenha rotura ou qualquer outro sinalizador de preocupação iminente (pelo que entendi da avaliação com o retinologo). Quando os flashes desaparecerem então a tração terá se resolvido espontaneamente. Essa é a história natural da tração e dos flashes; a complicação seria uma rotura retiniana com ou sem hemorragia que levaria à necessidade de tratamento urgente (laserterapia).

Se a sua insegurança (“medo de perda de visão”) se baseia no aumento progressivo do grau… pode esquecer. A cirurgia não altera essa progressão nem resolve seu problema retiniano.

Hoje e sempre o que recomendo é viver a vida sem medo de ser feliz, fazendo a sua parte (que é o que você vem fazendo): consultas oftalmológicas periódicas com o medico com quem estabelecer uma relação de confiança suficientemente boa para ajudá-la a entender todas as alternativas e melhor cuidar dos seus olhos!

Abs,

Anúncios